terça-feira, 8 de setembro de 2009

Um conto de fadas urbano


Ele a viu pela primeira vez na academia. Com receio de conversar diretamente com ela devido à diferença de idade, pediu para o funcionário do estabelecimento que perguntasse discretamente se ela passaria o número do telefone dela para ele.

Curiosa, ela começou sondar sobre a vida do misterioso homem, que mal se relacionava com as outras pessoas do estabelecimento. E descobriu que se tratava de um homem muito rico, com muitos bens. Ela então consultou uma amiga e disse que seria interessante conhecer um homem de alto nível para variar um pouco e viver uma aventura. A amiga aconselhou que ela refletisse sobre o assunto, mas realmente ela não teria nada a perder.

Então se iniciou a amizade. Ele, todo gentil, logo a convidou para jantar. Um jantar regado a muito luxo e glamour, acompanhado de uma caríssima conta. A paixão começou a aflorar.

A amizade continuou. Telefonemas se sucederam. E um convite para uma viagem inesperada também. Paris!

Enquanto ela pensava no assunto, discutia com amigos a respeito, o segundo encontro aconteceu. Um almoço seguido por um eletrizante passeio em uma das mais caras e famosas lojas da cidade. Outra pequena fortuna foi gasta em roupas caras e supérfluas. Aumentou a paixão. E com isso, a viagem para Paris foi marcada.

Poucas pessoas sabiam de sua sórdida aventura, e para outras que não poderiam saber, foi se criado uma realidade alternativa, para evitar maiores conflitos. Alguns ficaram apreensivos em aconselhar, porém ela mesma concluiu que a vida amorosa dela era um fiasco, e quem sabe as coisas poderiam ser diferentes.

Passagem comprada, passaporte emitido, mala de viagem Louis Vuitton e dólares no bolso como garantiam. Tudo por conta do elegante companheiro. Era inverno em Paris, então ela foi com pouca roupa, para comprar tudo por lá.

O passeio foi em alto estilo, apenas lugares caros e finos, sem transitar em meio a pontos turísticos óbvios. A cada dia, mais dinheiro era gasto nas refinadas lojas da Champs Elysees. Ela não se contenta e liga para essa amiga que sabia da verdade. Estava dentro da loja Empório Armani, tomando um café. A alegria dominava os ânimos e contagiava até pelo telefone.

Jantares, caminhadas, hotéis finos, compras de roupas e perfumes... Ah, o amor estava pelo ar!

Ao final de quatro dias de muita despesa e muito dinheiro gasto, a viagem chegou ao fim. Tudo transcorreu muito bem, um ótimo vôo e uma chegada sem problemas, até o desembarque. A esposa dele ligou dizendo que estava esperando por ele no saguão do aeroporto, com a filha dele.

O conto de fadas chegou ao fim. Um pequeno tormento assombrou a vida dela por um tempo, mas logo tudo se acertou.

Hoje, ela tem na memória uma eletrizante aventura, marcada por dinheiro, luxúria e traição.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Um dia diferente


Logo que acordou sabia que seria um dia diferente. Era inverno e o sol abriu cedo.

A energia positiva emanava pelo ar. Selma não sabia o significava aquela alegria toda. Felicidade!

Andando pela rua, sua confiança aumentava a cada passo. Mais e mais pessoas olhavam para seu rosto sorridente. Ela não conseguia para. Começou a lembrar de sua noite de sono. Havia sonhado. Um sonho bom, como há muito tempo não acontecia. Suspirou feliz, e seu rosto foi se tornando cada vez mais radiante. Estranha e ótima sensação.

Entrou no trabalho como de costume. Ela sempre fora simpática com todos, porém sentia que dessa vez estava transmitindo mais coisas boas aos colegas. Mais e mais rostos ficavam radiantes com sua passagem. Era a verdadeira corrente da paz.

Seu dia transcorreu com perfeição. As peças se encaixavam com harmonia. Até que logo depois do almoço seu chefe entra na sua sala. Com um incomum sorriso no rosto. Então ela se dá conta que seu sonho havia sido com ele. Não o tinha reconhecido, pois era um gentil e amável cavalheiro que a salvara da beira de um precipício.

E a energia positiva se espalhou por um motivo. Selma estava sendo promovida.



Fernanda Suraci


 

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Resultados da ignorância

Matéria sobre as manifestações na favela Heliópolis, onde moradores estariam recebendo cesta básica para participar do protesto contra a morte de uma jovem, em uma perseguição policial. Um micro ônibus foi incendiado.

A polícia não tem certeza da origem dos folhetos. O fato é que o compromisso de se distribuir cestas básicas a uma enorme população carente precisa vir de uma grande fonte de renda.

Alguém ainda duvida que educação é fundamental?

Matéria na íntegra:
http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,moradores-ganhariam-cesta-basica-para-protestar-em-heliopolis,428460,0.htm

A crise na cracolândia de São Paulo

Ao mesmo tempo que a notícia assuta, precisa ser encarada com uma triste realidade.

A notícia que saiu hoje, no jornal Estado de São Paulo é algo conhecido entre os Paulistanos. Não só os usuários de drogas negam ajuda, mas muitos moradores de rua se recusam ir para abrigos para melhorar as condições de vida.

Em relação ao meninos da cracolândia é que mais precisa ser eliminado. E com urgência. Estamos em um país onde homens fortes e barbados cometem verdadeiras atrocidades pelas ruas e nada acontece com eles porque tem menos de 18 anos. Um absurdo.

Usuários de drogas fazem de tudo para manterem seus vícios, e tendo a lei a seu favor, as "crianças" usam e abusam do seu poder.



Leiam a matéria no site do Estadão.

www.estadao.com.br/noticias/geral,na-cracolandia-93-recusam-auxilio-diz-governo-de-sp,428426,0.htm